x


RELEASE

Axé! Axé Bahia! Axé Música! Axé Beijo!

Axé Music é um desabafo, um desafio à imaginação. É uma manifestação popularíssima e autêntica de quem segue batucando no ônibus, passando fome, sendo marginalizado. É, ao mesmo tempo, o que de mais pop e mais tradicional a música baiana tem. Axé é tudo de bom.

Definitivamente, Axé Music é o som que a Banda Beijo faz quando toca. É samba-reggae, é galope, é percussão, é tribal revirado, é música pra cima, é cantar pra subir o astral. Existe muito mais coisa entre aquele céu ensolarado e aquela terra apimentada do que supõe a nossa vã imaginação musical.

Formada nos trios de carnavais baianos há seis anos, a Banda Beijo faz em “Aconteceu Axé Music”, quinto disco da banda, o melhor trabalho que saiu da terra de todos os santos.

A Beijo faz essa receita infalível de “Axé Music” misturando as percussões encapetadas de Anjo e Fumaça, a guitarra esperta do Boca, o baixão suingado do Gigi, a bateria pra cima do Júlio Cezar, tudo sobre os teclados do Zé Raimundo e o vocal agudo do incansável Netinho.

Esse disco é a manifestação mais popular de um povo caloroso e quente, traduzida em pura música. Axé! 

CRÉDITOS DO ÁLBUM
Produção: Ricardo Cavalcanti
Direção Artística: Mayrton Bahia
Ano: 1992

FAIXAS
1. Barracos (Escombros)
2. A vida é festa
3. Aconteceu
4. Por teu beijo
5. Qualquer estação
6. Novela da cana (The banana boat song)
7. Estrela primeira (Amor eu fico)
8. Sandra
9. Tauã
10. Só acontece comigo
11. Lance de amor
12. Senti firmeza


Aconteceu Axé Music


LETRA DAS MÚSICAS

- Barracos (Escombros)

(Tenison Del Rey)


Pra quem mora lá no morro
Pra quem vive nas encostas
Onde o diabo faz fogo
Pra onde Deus virou as costas
Pra quem vive na surdina
Onde a luz não ilumina
Onde a morte começa
Aonde a vida termina

Esse barraco vai cair
Eu não me canso de avisar
Ele não tem alvenaria
Não tem coluna pra apoiar
Ah, eu não quero ver o dia
Dessa zorra desabar

Pra quem vive nos escombros
Sem poesia e sem paixão
Sem mel, sem céu, sem sonho
Com o coração na mão

Pra quem tá no fim da fila
Tá num beco sem saída
Tá perdendo a graça
Tá ganhando mais ferida

Esse barraco vai cair
Eu não me canso de avisar
Ele não tem alvenaria
Não tem coluna pra apoiar
Ah, eu não quero ver o dia
Dessa zorra desabar

Ô, ô, ô, ô, ô, ô, vai desabar
Ô, ô, ô, ô, ô, ô, não dá pra viver lá

- A vida é festa

(Dito)


Amor, quero sentir o teu perfume
Amor, quero curtir felicidade
Amor, eu quero sentir se tem ciúme
Amor, quero viver na amizade

A vida é festa
É alegria
Deixa a tristeza de lado
E vem me abraçar
O que nos resta é fantasia
Temos sossego, chamego delícia e luar

Kê, kê, kê, ô estrela do amor
Ê, ah, vem me iluminar
A felicidade da gente 
É uma semente plantada no olhar

Kê, kê, kê, ô estrela do amor 
Ê, ah, é sol de verão
É o som de mil tambores batendo gostoso
Em seu coração

- Aconteceu

(Gigi)


Aconteceu, você virou paixão 
Bateu os tambores do meu coração
Você chegou e me deixou no chão
Quando estou contigo
Perco a razão

Tenho tantos segredos
Pra te contar
E uma coisa linda para te dar
Amor ô ô ô amor

Seus olhos refletem
A cor do verão
Pra mim você é a mais bela canção
De amor ô ô ô de amor

Tudo o que é perfeito
Lembra você
Seu corpo, seu jeito me dá prazer
E amor ô ô ô e amor

E quando me beija
Fico a sonhar
Penso em mil maneiras 
Pra te falar
De amor ô ô ô de amor

- Por teu beijo

(Evany)


Por teu beijo virei o meu mundo ao avesso
No afã de laçar teu apreço
Desejando em mim te seduzir, ô, ô
Por teu beijo hoje minha sina é você
Utopia é tentar te esquecer
Sabe lá o que será de mim
Se o brilho dos teus olhos do meu partir

Ô menina, me abraça e me leva contigo
Quero em teus braços ser menino
Carente de todo o prazer
E amanhã quando o sol no horizonte brilhar
Deixa a vida lá fora rolar
Vem curtir esse sonho outra vez

Por teu beijo há de ser infinito o amor
Como as ondas e o cheiro da flor
Perfumando a beleza das manhãs, ô, ô
Por teu beijo floriu primavera no meu peito
É verão de ardentes desejos
Que tal a gente ser feliz
Sinto o gosto do teu beijo a me invadir

- Qualquer estação

(Gigi)


Minha musa, estrela guia
Eu quero amar você
Lua cheia de mistério
Não consigo entender
Mergulhei na harmonia
Cantei outra canção
Só pra ter você comigo
Em qualquer estação

Eu quero ler seu pensamento
Decifrar seu coração
Caminhando contra o tempo
Levantando essa mão

Lê, lê, lê ô, onde está você?
Lê, lê, lê ô, eu vou te procurar
Lê, lê, lê ô, vem ficar comigo
E se apaixonar

- Novela da cana | The banana boat song

(I. Burgie | W. Attaway - versão em português: Antonio Medrado)


O doce é do outro
P amargo é o que sobrou pra mim
O ouro é do outro
O amargo é o que sobrou pra mim

No enredo da novela da cana
O amargo é o que sobrou pra mim

Quanto verde! Quanta cana!
Quanto doce, mas não é pra mim
Quanta ordem!  Quanta grana!
Quanto caos que sobrou pra mim

No enredo da novela da cana
O amargo é o que sobrou pra mim

Quanta fama! Quanta história!
Quanto limbo sobrou pra mim
Quanto templo! Quanta glória!
Quanta cruz que sobrou pra mim

- Estrela primeira (Amor eu fico)

(Jauperi / Pierre Onassis)


Reluz do meu ser
A fonte mais pura do viver
Será que é ilusão
As batidas do meu coração
Pairando no ar
Toda sapiência do meu ser
Oh, meu bem não vá
Pois no meu eu está você

Amor eu fico
Nesse balanço você baila comigo
Amor, eu fico

Custei te encontrar
Estrela primeira do meu céu
Princesa tu és
Revela o teu rosto, tira o véu

Custei te encontrar
Num despertar puro e encantador
Te espero amanhã
Te encontro lá em São Salvador

Amor, eu fico
Nesse balanço você baila comigo

Tô na varanda, amor
Me pega nos braços
Me leva pra cama que eu vou

- Sandra

(Gilberto Gil)


Maria Aparecida
Porque apareceu na vida
Maria Sebastiana
Porque Deus fez tão bonita
Maria de Lourdes
Porque me pediu uma 
Canção prá ela
Carmesita porque ela sussurrou 
Seja bem-vindo (ao meu ouvido)
Na primeira noite
Quando nós chegamos no hospício
E lá e Lais
Porque quis me ver
E foi lá no hospício
Salete fez chafé
Que é um chá de café que eu gosto
E naquela semana tomar chafé foi um vício
Andréia na estréia
No segundo dia 
Meus laços de fita
E Cíntia
Porque embora choque
Rosa é cor bonita
E Ana porque parece uma cigana da ilha
Dulcina porque
É santa, 
É uma santa e me beijou na boca
Azul porque azul é cor 
E cor é feminina
Eu sou tão inseguro 
Porque o muro é muito alto
E prá dar um salto
Me amarro na torre no alto da montanha
Amarradão na torre dá prá ir pro mundo inteiro
E onde quer que eu vá no mundo eu vejo a minha torre
É só balançar
Que a corda me leva de volta prá ela

Sandra, Sandrinha

- Tauã

(Jauperi)


Vou seguindo, vou em frente
A gente sabe, a gente sente
Não dá pra parar
Pego a minha viola
E entoando uma canção
Eu vou te conquistar

Sou daqui e sou de lá
Sou mito, raça, índia
Povo secular
Sou daqui e sou de lá
Palco Pelô, Amado Jorge ou será
Que a poesia é sã
Meu canto, um amanhã
Filho do sol, Tauã

Vem dar o amor
Vem ser que eu vou
Contigo lá

Me perdi nessa estrada do teu coração
Cantei versos, prosa, trotes
Nada foi em vão
Ecoando, minha voz sensibilizará
A gregos e troianos eu vou encantar

- Só acontece comigo

(Carlinhos Boca)


Você não quis mudar
Estava tudo parecido
Com um caso sério

Parei pra pensar
Não vi razão
Nem quis saber
Você ficou para trás

Eu só pensava
Que você me faria feliz
Deixei minha vida toda
Conduzida por você
Acho que o mundo me condena
Me sinto infeliz

Me beija, se queixa
É sempre assim me exigindo
A toda hora

Ô, ô, u, ô, ô, u, ô, ô
Só acontece comigo

- Lance de amor

(Marcelinho)


Se você gosta de namorar
Faz amor comigo, peço pra demorar
Vai e vem que eu também
Vou no trem
Pra chegar com você
Ao mesmo lugar


Quando o primeiro beijo rolou
E a turma toda viu
Quando o nosso lance de amor pintou
Você olhou e sorriu

Ô, ô, ô, ô, ô, um lance de amor
Ô, ô, ô, ô, ô, pra gente pintou

Vai que eu vou
Onde você quiser
Vou longe com você
Pra rodar quem sabe em Bagdá
Viajar sem pressa
E depois vem o prazer
E colar meu corpo no seu
Fazer o jogo bem devagar
Juntar o seu pecado com o meu
Fazer amor e nunca mais parar

Ô, ô, ô, ô, ô, um lance de amor
Ô, ô, ô, ô, ô, pra gente pintou

- Senti firmeza

(Gigi)


Kê kê ô lá lá lá lá
Kê kê ô lá lá lá lá

Já virei as costas pra tristeza
Só quero saber de emoção
O negro mostrou sua riqueza
Samba-reggueou minha cabeça
Mandando um axé de coração

Canto em cada canto da cidade
Minha poesia Salvador
Mesmo com tanta dificuldade
Eu tento encontrar felicidade
Buscando a paz em toda cor

Dancei, balancei, senti firmeza
Ilê, Araketu, Olodum
Mostrando seu som, sua beleza
Encontro do mar e céu azul

Kê kê ô lá lá lá lá
Kê kê ô lá lá lá lá